POLÍTICA

Oba anuncia Ivete Sangalo mas (mais) vereadores querem o cancelamento

Oba anuncia Ivete Sangalo mas (mais) vereadores querem o cancelamento

Posição contrária a realização do evento tem apoio de 95% da população, afirma presidente da Câmara

Posição contrária a realização do evento tem apoio de 95% da população, afirma presidente da Câmara

Publicada há 5 meses

Começa a angariar ‘devotos’ a posição contrária à realização do Oba Festival no próximo ano em Votuporanga.

Dantes, um movimento restrito aos bastidores e minoritário em redes sociais, angariou adeptos e expandiu os brados contrários ao evento que recentemente anunciou Ivete Sangalo como ‘rainha’ e que terá Gusttavo Lima como embaixador.

Dentre os principais oposicionistas estão sete dos atuais vereadores que, após o pronunciamento de Mehde Meidão (DEM), mostrando a relação das cidades que já cancelaram eventos similares, ganhou o apoio de outros seis, com direito a manifestação pública na sessão de ontem, 29, da Câmara Municipal de Votuporanga, dentre eles, inclusive, o presidente Serginho da Farmácia (PSDB), que afirmou representar o sentimento de 95% dos votuporanguenses.

Outros edis, embora sem se oficializarem publicamente, também discordam da realização do Oba no início de 2022.

A bomba agora fica nas mãos do prefeito Jorge Seba (PSDB) que disse aguardar o pedido dos empresários para, após manifestação do Comitê de Enfrentamento à Covid-19, decidir. Seba lembrou que independentemente da realização do Oba, o município não terá o Carnaval de Rua.

A organização do evento até agora não se manifestou, mas, pelas divulgações recentes, deve opor, à lógica insofismável dos dramas pandêmicos, dados econômicos, tentando justificá-lo, em especial com a argumentação de que o festival movimenta cerca de R$ 50 milhões na economia local.

O problema é a repartição desproporcional desses R$ 50 milhões a poucos e da propagação da pandemia a muitos.

PS: Lembrando que a nível nacional, até inquestionável negacionista Bolsonaro é contra a edição 2022 desse tipo de evento; sob o prisma estadual, cidades turísticas de porte já se posicionaram contra (vide a maioria das litorâneas); regionalmente, a líder Rio Preto, receosa da volta dos temíveis quadros apocalípticos confirmou o cancelamento em atitude seguida por Catanduva, Fernandópolis, Potirendaba e Ibirá; na microrregião, até Estrela d´Oeste, Valentim Gentil, Macedônia e Meridiano descartam eventos similares. Ouroeste estuda a realizá-lo.

últimas