POLÍTICA

Pesquisa Governo SP: liderança da esquerda e Tarcísio com o dobro de Rodrigo

Pesquisa Governo SP: liderança da esquerda e Tarcísio com o dobro de Rodrigo

Nome do PSDB tem 5%; presidente do Hospital do Amor, Henrique Prata, pode ser vice

Nome do PSDB tem 5%; presidente do Hospital do Amor, Henrique Prata, pode ser vice

Publicada há 4 meses

O Ipespe, patrocinado pela XP Investimentos, divulgou na sexta, 18, nova pesquisa para o governo paulista. Registrada no TSE sob o código BR-08006/2022 e realizada entre 14 e 16 deste mês, mediante a oitiva de 1 mil entrevistados e com margem de erro de 3,2%, o levantamento estimulado mostra a liderança do petista Fernando Haddad com 28% de preferência.

Na sequência surgem outros dois candidatos ‘esquerdistas’: Márcio França (PSB) com 18% e Guilherme Boulos (PSol) com 11 pontos.

Somente na quarta colocação aparece a ala da ‘direita’, encabeçada pelo ministro bolsonarista Tarcísio de Freitas (sem partido) com 10%, seguido do escolhido de João Doria, Rodrigo Garcia (PSDB) com 5%.

Nenhum, branco e nulo somam 24 pontos e não sabe/não respondeu 4%.

Tais índices colocarão pressão em Boulos e França para aquiescerem com uma união entre seus partidos e o PT, com Haddad encabeçando a candidatura e unindo o esquerda, enquanto que, do outro lado, Tarcísio já tem o dobro de intenção de votos que Garcia e começa a cacifar-se para ‘duelar’, em Segundo Turno, com Haddad.

Enquanto isso...

  • A mesma pesquisa, delimitando os resultados presidenciais somente aos eleitores paulistas mostra que o atual governador João Doria (PSDB), está na quinta colocação dentro de seu próprio Estado, com 5% dos votos, atrás de Lula (34%), Jair Bolsonaro (26%), Sergio Moro (11%) e Ciro Gomes (7%).
  • O presidente do Hospital do Amor de Barretos, Henrique Prata, bolsonarista assumido e supostamente preterido em 2018, para o cargo de ministro da Saúde, surge como eventual vice de Tarcísio. O problema é que há dois concorrentes: o presidente da Ceagesp coronel Mello Araújo, preferido de Bolsonaro, e o diretor do Hospital do Rim José Medina.
  • O Tribunal de Contas da União (TCU) apontou, nesta sexta-feira, 18, a existência de "indícios robustos" de fraudes em licitação do Exército para a compra de insumos para a produção de hidroxicloroquina, medicamento ineficaz no combate à Covid-19.


últimas