EDUCAÇÃO

IDEB 2021: SP melhora desempenho no ensino médio e nos anos finais do ensino fundamental

IDEB 2021: SP melhora desempenho no ensino médio e nos anos finais do ensino fundamental

Nível de proficiência em Língua Portuguesa e Matemática foi mantido em todos os ciclos

Nível de proficiência em Língua Portuguesa e Matemática foi mantido em todos os ciclos

Publicada há 2 meses

Brasil avança no Ideb, mas apenas ensino fundamental cumpre meta | Agência  Brasil

Da Redação

O estado de São Paulo voltou a melhorar a avaliação no ensino médio no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) 2021, atingindo a marca de 4,4 pontos, após registrar o maior crescimento da história das escolas estaduais neste ciclo de ensino em 2019. O resultado anterior era de 4,3 pontos para os alunos que estavam concluindo o ensino médio.

Os dados do Ideb do ano passado foram divulgados nesta sexta-feira (16) pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), que também apontam que a rede estadual de São Paulo avançou nos anos finais do ensino fundamental. 

São Paulo alcançou em 2021 o melhor desempenho da história no Ideb para os anos finais do ensino fundamental, com pontuação de 5,3. Um crescimento de 0,1 em relação ao resultado registrado em 2019. 

Os números, que trazem também os resultados do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb), demonstram o impacto positivo que as medidas adotadas pelo Governo do Estado para garantir o ensino durante a pandemia tiveram na aprendizagem dos estudantes. Apesar da variação numérica dos indicadores, os níveis de proficiência em Língua Portuguesa e Matemática, de acordo com os critérios estabelecidos pelo Ministério da Educação, foram mantidos em todos os ciclos de ensino. 

Como é calculado

O Ideb é o principal indicador da qualidade dos sistemas educacionais brasileiro. Ele é calculado com base nas médias da Prova Brasil e fluxos de aprovação, reprovação e abandono extraídos do Censo Escolar. 

Impacto da pandemia

O Governo de São Paulo, por meio da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo, desde o início da pandemia da Covid-19, não mediu esforços para garantir a educação a todos os paulistas. A oferta das aulas mediadas por tecnologia foi fundamental para a manutenção das atividades no período em que as escolas permaneceram fechadas sob protocolos sanitários. Por meio do Centro de Mídias (CMSP), desenvolvido em abril de 2020, os estudantes da rede estadual tiveram acesso às aulas inéditas em tempo real, interatividade e tira-dúvidas com professores das suas turmas, em manutenção ao ensino remoto. A Seduc-SP também investiu na avaliação diagnóstica, processual e formativa, fundamentais para apoiar a recuperação da aprendizagem abalada pelo afastamento dos estudantes. 

Ao longo de 2021, o Estado desenvolveu programas de apoio à recuperação da aprendizagem, como o Bolsa do Povo Ação Estudantes, o Programa de Recuperação Intensiva durante as férias escolares; o Programa de Recuperação e Aprofundamento com materiais didáticos adicionais e formação para os professores; o Projeto de Reforço e Recuperação (PRR) com um professor para atendimento personalizado; bem como o Programa Além da Escola, com aulas acompanhadas por professores via Centro de Mídias de SP e entrega de chips com dados patrocinados. Outra iniciativa importante e com forte impacto nos resultados educacionais foi a prática pedagógica da Busca Ativa, já realizada pelas escolas com apoio das Diretoria de Ensino e da Seduc-SP.

últimas