POLICIAL

Em menos de uma semana, 6 mulheres são assassinadas no Triângulo Mineiro

Em menos de uma semana, 6 mulheres são assassinadas no Triângulo Mineiro

Feminicídios e homicídios ocorreram no Triângulo Mineiro, Alto Paranaíba e Noroeste de Minas

Feminicídios e homicídios ocorreram no Triângulo Mineiro, Alto Paranaíba e Noroeste de Minas

Publicada há 2 meses

Neuza foi morta com golpe de macaco hidráulico. Foto: Reprodução

Da Redação

O homicídio de Neuza Júlia de Oliveira Silva, 56 anos, encontrada morta em uma área de mata na última quinta-feira, 17, se tornou o sexto caso de morte de mulher por homem no Triângulo Mineiro, Alto Paranaíba e Noroeste de Minas em menos de uma semana.

No último fim de semana, a Polícia já havia registrado que duas mulheres morreram em Patos de Minas e uma em Carmo do Paranaíba. Ambos assassinatos foram registrados como feminicídio. No mesmo período, após uma briga entre vizinhos, um terceiro homicídio de outra mulher foi registrado.

Na terça-feira, 15, a Polícia prendeu em flagrante um ex-marido de 66 anos, acusado pela morte de uma idosa (64 anos), com um tiro no peito na área central de Frutal.

No dia seguinte, em Varjão de Minas, Luciene Camargo também foi vítima de feminicídio em frente aos filhos, que teve como autor o ex-marido, encontrado morto poucas horas após o crime.

O CASO

A sexta vítima teve o corpo encontrado nesta quinta-feira, 17, sendo que o crime ocorreu na terça-feira, 15.

A filha dela relatou à Polícia Militar que a idosa estava desaparecida e que a última notícia é de que ela teria ido a um bar acompanhada de um homem.

Policiais foram até a casa do suspeito que acabou confessando o homicídio e disse que após beber com Neuza, foram até uma estrada vicinal próxima, onde os dois mantiveram por alguns momentos relações sexuais consensuais. Depois, ele disse que ela não quis continuar com o ato.

Com raiva da situação, o homem pegou o macaco hidráulico e golpeou a cabeça da vítima. Quando percebeu que Neuza morreu, ele a enterrou ao lado da estrada e cobriu o corpo com folhas e galhos.

O acusado foi encaminhado à Delegacia de Polícia onde foi autuado em flagrante por homicídio doloso e ocultação de cadáver. Para a Polícia Civil não foram encontrados elementos para classificar o delito como feminicídio, tendo em vista que Neuza não foi morta em razão da condição do estado feminino ou pelo fato de que eles tivessem um relacionamento anterior.

Com informações: g1 Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba

últimas