POLÍTICA

Mistério em Fernandópolis: ninguém quer R$ 900 mil

Mistério em Fernandópolis: ninguém quer R$ 900 mil

E mais! Nova eleição amanhã; Tarcísio demitindo na região e Pessuto em busca de prêmio

E mais! Nova eleição amanhã; Tarcísio demitindo na região e Pessuto em busca de prêmio

Publicada há 2 meses

A situação econômica deve estar muito favorável aos empreiteiros de obras públicas, sobretudo aquelas envolvidas em ações viárias. Ou não!

Absolutamente nenhuma empresa quis sequer apresentar proposta para a obra de construção da alça de acesso à Rodovia Euclides da Cunha, pela marginal Luiz Brambatti, tão necessária após a ‘destruição’ do acesso original com a inversão de fluxo para facilitar o ingresso ao Max Atacadista.

E atentemo-nos que o valor é relativamente alto R$ 900 mil e o recebimento praticamente garantido pois os recursos já estão alocados e pré-direcionados pelo governo municipal.

E a licitação declarada ‘deserta’ nesta semana é a segunda tentativa promovida pela administração Pessuto. Anteriormente, em 17/08/2022, - clique aqui para relembrar – outra já tivera similar destino. Lembrando que a desta semana teve acréscimo de valor em cerca de R$ 50 mil.

Em conversações com um dos grandes empreiteiros de Fernandópolis e região, relatou-nos que há alguns fatores que ‘desestimulam’ concorrências: o preço estipulado para as obras; os prazos para pagamento e conclusões; vícios ocultos nos editais e compromissos já agendados pelas empresas. “Também podo ocorrer combinações de mais de um problema”, alertou, sem direcionar diretamente à hipótese atual.

Como não resta alternativa, novo chamamento público deve ser feito brevemente, talvez com novo acréscimo de valor e outras alterações que tornem o certame mais atrativo.

Enquanto isso, os usuários que saiam do perímetro urbano fernandopolense para a SP-320 na altura da empresa "Pavani Areia e Pedra", situada na Marginal Luiz Brambatti, devem percorrer mais de dois quilômetros, até o trevo da Avenida Carlos Barozi, na confluência de Brasilândia com a saída para Pedranópolis para, finalmente, "cair" na SP-320.

*Conteúdo originalmente publicado na Coluna .Inside de sexta-feira, 25/11/2022.

Divergência explícita entre os dois parlamentares federais da região noroeste.

Enquanto um deles – Luiz Carlos Motta (PL), seguindo corrente partidária, subscreveu o pedido de instalação de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga eventuais abusos de autoridade praticados por membros do Supremo Tribunal Federal (STF) e Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ou outro, o fernandopolense Fausto Pinato (PP) negou e não assinou o pedido.

A proposta foi protocolada com 181 assinaturas, 10 a mais do que o mínimo necessário, pelo autor Marcel Van Hattem (Novo), “com a finalidade de investigar a violação de direitos e garantias fundamentais, a prática de condutas arbitrárias sem a observância do devido processo legal, inclusive a adoção de censura e atos de abuso de autoridade, por membros do Tribunal Superior Eleitoral e do Supremo Tribunal Federal, nos casos a seguir descritos”.

Muitos veem a instalação da CPI contra o STF e o TSE como mais uma ofensiva do grupo bolsonarista em retaliação ao resultado das eleições.

Fausto, além de não concordar e não ter sido incluído no rol inicial dos subscritores, afirmou que “não assinei e não irei assinar”.

À Coluna de Guilherme Amado, no Metrópoles, o presidente da Câmara dos Deputados Artur Lira (PP) seguiu a linha de Pinato e afirmou que não vai instalar a comissão. Ele disse a interlocutores que há uma fila com pedidos anteriores para instalações de CPI´s e aconselhou Hattem a realizar nova colheita de assinaturas para serem reapresentadas na próxima legislatura.

*Conteúdo originalmente publicado na Coluna .Inside de quarta-feira, 23/11/2022.

É... A fatura demorou, mas chegou!

Após praticamente 28 anos de sucessivas gestões tucanas no Estado paulista, eis que a partir de janeiro próximo o governador eleito Tarcísio de Freitas (Republicanos) assume e com uma das missões já bem definida: preencher os mais de 23 mil cargos de vínculos comissionados (de livre nomeação e indicação política) existentes no funcionalismo público estadual.

Os dados são de levantamento da Secretaria de Governo do Estado de São Paulo que afirma existir 23.408 cargos comissionados, sendo que ao menos 10.029 estão vagos, enquanto que outros 13.379 permanecessem preenchidos pelos ‘apadrinhados tucanos’. Desses, apesar do apoio do PSDB no Segundo Turno, a grande maioria será destituída para abrigo de outras indicações políticas, agora provindas de outros caciques. A previsão é de que alguns permaneçam.

Nesse rol dos ‘demissíveis’ encontram-se centenas de moradores dos municípios do noroeste paulista, da microrregião de Fernandópolis especificamente, agraciados com nomeações ao longo das últimas décadas.

Não se tem uma quantificação exata desse número, o que ocorrerá a partir da publicação das demissões. Também não há qualquer previsão sobre o número de vagas que serão preenchidas inicialmente

As 23.408 vagas comissionadas correspondem a 4,2% do total de servidores concursados paulistas (557.353) atuando nos mais diversos órgãos esparsos em 645 municípios.

Rememorando, há três semanas publicamos coluna mostrando que a derrota de Bolsonaro no Segundo Turno atrapalhou – e muito – planos de diversos fernandopolenses que aguardam nomeações (pessoais ou de indicados) para cargos de maior envergadura no Estado, os quais agora disputam com ‘exilados’ do Palácio do Planalto.

(CLIQUE AQUI PARA RELEMBRAR).

E por falar nisso...

Três rio-pretenses integram a equipe de transição de Tarcísio na área da saúde: o ex-deputado federal e ex-vice-prefeito Eleuses Paiva (PSD) e os médicos Francisco Assis Cury, diretor da Fundação Faculdade de Medicina de Rio Preto (Famerp) e o ex-diretor da Unimed, Helencar Ignácio. Eleuses, como antecipamos, será o titular da Secretaria.

Vereadores: R$ 430 mil para Santa Casa

Dez vereadores com assento na Câmara de Jales indicaram a unidade de saúde para receberem emendas parlamentares aditivas que totalizam R$ 430 mil. O recurso será incluso no exercício financeiro de 2023.

Eleição amanhã na região

É. Tem eleitores que, neste ano, exercerão o direito ao voto com abundância na região. Após votarem no 1º e 2º Turnos, fecharão com mais uma ida às urnas. Amanhã, 28, os 20.685 eleitores cadastrados em Tanabi elegerão no novo prefeito do município. Concorrem o policial civil Valdir Uchôa (PL), o advogado Lincoln Alquáz, o atual prefeito Xandão Bertoline (PSB) e o ex-prefeito Zé Francisco.

Sessões itinerantes em Fernandópolis

A Mesa Diretora eleita da Câmara de Fernandópolis planeja apresentam uma mudança legal criando sessões itinerantes a partir do próximo ano. A ideia do presidente João Pedro conta a simpatia dos outros ocupantes diretivos (Cabo Santos, Cidinho do Paraíso e Everaldo Lisboa). Pelo projeto, sessões mensais seriam realizadas em bairros da cidade e em clubes associativos, visando aproximar o Parlamento da população.

Vai dar Federal e Justiça?

Não aparenta ser fake, mas a propagação de denúncias contra uma administração pública municipal atual se espalha como se o fosse. E elas versam sobre falsificações, adulterações e substituições de publicações de Atos Oficiais de município da região envolvendo, sobretudo, atos licitatórios com verbas municipais, estaduais e federais. Convém, no mínimo, acompanharmos.

Prêmio é prêmio...

E Fernandópolis concorrerá, pelo segundo ano consecutivo, no ‘Band Cidades Excelentes’ a nível nacional na categoria Saúde/Bem Estar e Sustentabilidade que acontece em Brasília-DF na próxima quarta-feira, 30, devendo ser representada pelo prefeito André Pessuto. Votuporanga também concorre na categoria ‘Educação’ e Jorge Seba já confirmou presença.

últimas