LUTO

Morre a 4ª vítima do ataque às escolas em Aracruz, no ES

Morre a 4ª vítima do ataque às escolas em Aracruz, no ES

Flavia Amoss Merçon Leonardo, de 38 anos, era professora de um dos colégios atacados

Flavia Amoss Merçon Leonardo, de 38 anos, era professora de um dos colégios atacados

Publicada há 2 meses

Da Redação/Correio Braziliense

A Secretaria de Saúde do Espírito Santo confirmou a morte da quarta vítima dos ataques em escolas do município de Aracruz, situado 85km ao norte da capital do Espírito Santo. Flávia Amoss Merçon Leonardo tinha 38 anos e era professora da Escola Estadual Primo Bitti.

A professora estava internada no Hospital Estadual Dr. Jayme dos Santos Neves, na Serra. A confirmação da morte ocorreu na tarde deste sábado (26/11).

Outras três pessoas morreram em decorrência do ataque. A estudante Selena Zagrillo, 12 anos, e as professoras Maria da Penha Pereira de Melo Banhos, 48 anos, e Cybelle Passos Bezerra, 45 anos.

Ainda há mais cinco vítimas internadas, duas em estado grave. Uma delas é um menino de 14 anos, que teve perfurações na barriga, e a outra é uma menina de 14, que levou um tiro na cabeça e está entubada.

Neste sábado, a Polícia Civil do Espírito Santo anunciou que o autor do atentado nas duas escolas de Aracruz, um jovem de 16 anos, deverá responder por ato infracional correspondente aos crimes de 10 tentativas de homicídio qualificada e três homicídios qualificados (A professora Flávia Amoss não havia falecido até o anúncio da polícia), todos com o agravante de por motivo fútil e com impossibilidade de defesa da vítima.

Um crime brutal

Armado com uma pistola .40 e um revólver, o jovem de 16 anos — que não teve a identidade revelada — invadiu os dois edifícios e abriu fogo contra alunos e professores. Ele usava roupa camuflada com uma suástica nazista no braço, chapéu, e tinha o rosto coberto por uma máscara de caveira.

O suspeito de ser autor dos crimes foi apreendido à tarde, quatro horas após os ataques, na casa em que mora, no próprio município.

O primeiro ataque ocorreu por volta das 9h30 na Escola Estadual de Ensino Médio Primo Bitti, na qual o acusado estudou até junho. Lá, o jovem atirou várias vezes no pátio e, depois, dirigiu-se à sala dos professores, onde fez mais disparos.

Depois de alvejar as vítimas, o atirador fugiu em um carro e se dirigiu até o Centro Educacional Praia de Coqueiral, antigo Centro Darwin. A escola, que é particular, fica na mesma via da primeira instituição atacada, ambas em Praia de Coqueiral, a 22km do centro da cidade. Segundo o secretário de Segurança Pública, Márcio Celante, no local "ele fez a mesma coisa: entrou nas salas efetuando disparos. Atingiu cerca de cinco pessoas e um óbito foi confirmado no local. Os feridos foram socorridos em hospitais da região".

O atirador deixou o local no mesmo carro, um Renault Duster dourado, que estava com a placa parcialmente encoberta, mas com os números finais aparentes. Foi por meio deles que a polícia encontrou a placa completa e o endereço do autor. Ele foi preso em casa quatro horas depois dos ataques. Segundo informações divulgadas pelo governador reeleito do Espírito Santo, Renato Casagrande (PSB), ele tinha uma pistola .40 de propriedade da Polícia Militar, e um revólver 38 particular, além de três carregadores. Não foram divulgadas informações sobre qual pode ter sido a motivação do crime.


Fonte: correiobraziliense.com.br

últimas