EX-VEREADOR

Warley pode ter prisão domiciliar deferida semana que vem

Warley pode ter prisão domiciliar deferida semana que vem

Ex-presidente da Câmara de Fernandópolis completará um mês cumprindo semiaberto no CPP de Rio Preto

Ex-presidente da Câmara de Fernandópolis completará um mês cumprindo semiaberto no CPP de Rio Preto

Publicada há 6 dias

O advogado Maurilio Saves garantiu mais uma vez que irá até o Tribunal de Justiça com pedido de HC se seu novo pedido de prisão domiciliar for negado

João Leonel

Warley Luiz Campanha de Araújo foi preso no dia 4 de maio quando o processo que respondia em liberdade, acusado de concussão, transitou em julgado, confirmando sua condenação por extorquir o advogado Ricardo Franco.

Ele ficou detido no Plantão Policial de Fernandópolis até o dia seguinte, quando foi levado para a Cadeia Pública de Santa Fé do Sul. No dia 13 do mês passado foi transferido ao Centro de Progressão Penitenciária de Rio Preto, local onde cumpre uma pena de 4 anos, 5 meses e 10 dias em regime semiaberto.

Atuando na defesa do ex-presidente da Câmara Municipal e também ex-funcionário do INSS de Fernandópolis, o advogado Maurílio Saves vem pedindo o benefício de prisão domiciliar para o cliente e amigo. Foram vereadores juntos por duas legislaturas. 

“O Warley corre sérios riscos de saúde, toma medicamentos diários, com diabetes aguda precisa tomar insulina. Terá que passar por uma nova cirurgia cardíaca, que estava até agendada, e por isso também toma medicamentos diários. Tenho enfatizado através de documentos, consultas, exames e receitas, as condições de saúde dele, expondo todas as complicações médicas que podem afetar, com gravidade, a vida do Warley nos pedidos da domiciliar que já fiz, aqui em Fernandópolis, lá em Santa Fé e agora em Rio Preto. Dessa vez, a juíza entendeu que se trata de um caso grave. Então ela solicitou informações ao CPP de Rio Preto sobre as condições de atendimento que existem lá. O presídio informou que precisa levá-lo para um hospital quando for necessário e que, internamente, não possui atendimento adequado para ele. Ao receber essas informações do presídio, a juíza abriu vista ao Ministério Público. Espero que, no máximo, semana que vem ele possa estar em sua casa”, disse Saves. 


Relembre o caso aqui

últimas